2 minutos

Seus olhos, parece que os vejo chorar,
Indigolitas azuis, mar que me carrega
Nesta extensa e fria noite de outono.

Ondas me envolvem, ao contemplá-los,
E entre tantos brilhos, aumenta a fissura,
Congelo, ficando apenas a os admirar.

Vastidão de luz que salta direção a mim
Ali me perco, também posso me achar,
Calmaria que transborda dos olhos teus.

Olhos que revelam mais do que preciso,
Contando de uma alma que tanto sofreu
Quem a coragem teria de os entristecer?

Oh! Não me venhas a olhar dessa jeito,
Com um ardor que já resistir não posso.
Olhos que fazem sentir a dor do partir.

Beleza comum em contrárias constantes,
Brilham as estrelas no profundo oceano.
Vejo-os reluzir tão azuis quanto podem,

Lançando por terra, estrelas do meu céu,
Desfazendo a órbita de ambos luminares
Até derreterem em águas do salgado mar.

Distante os vejo, sozinhos agora estão.
Chorando a dor de um amor partido,
Que de tanto alívio, só lhes causou dor.

Ainda que socorrer teus olhos, deseje eu,
A distância erguida me proíbe isso fazer,
Então triste fico, apenas a lhes contemplar.


#freetalk

Já disseram que “os olhos são as janelas da alma”, pois é através deles que podemos enxergar verdades ocultas, sentimentos discretos e a luz dentro de cada um [Mateus 6.22-23], assim é possível saber quando alguém mente ou é tímido, quando não sustenta o olhar, se existe desejo, quando eles não desgrudam de nós ou se está apaixonado, quando as pupilas dilatam mesmo quando se está claro.

Com esse conhecimento o que a gente faz quando identificamos que o que a pessoa realmente sente não é aquilo que ela diz e é possível ver que ela sofre? É certo ajudar mesmo quando a pessoa não pede?

Como me dói saber que alguém de quem gosto está mal – pior se fui responsável por isso – já fiz bastante disso, mas às vezes tudo que se faz necessário é apenas dar tempo. Pode ser que tudo de que a ela necessite seja um momento com si mesma pra juntar o que sobrou e se refazer ou então, de apenas companhia, saber que tem alguém ali, onde as palavras se tornam necessárias. Não se abrir, muitas vezes, significa apenas que aquela dor é grande a ponto de não poder externá-las através de palavras, não que prefira sua distância.

Ósculos e amplexes,

mishael mendes sign, assinatura
Veja também  Cume do Monte (Foi aqui que cheguei)

Mishael Mendes

Um cara totalmente apaixonado por música, se deixar ele não quer fazer nada sem uma boa trilha sonora. Amante de fotografia, livros, animais e comida boa – principalmente a da mãezona. Criou o blog e o canal pra compartilhar sua visão inversível da vida.
Fechar Menu