Poesificando

A simplicidade de um coração de criança

A simplicidade que ignora sentimentos ruins, permite desfrutar do amor que cura e que conduz a felicidade

Um coração de criança vê a verdade que apenas quem não tem olhos errados consegue enxergar. Sendo todo amor, não há espaço pra mais nada, nem mesmo pra sentimentos ruins permanecer dentro de si.

Em celeste pudor baixa o céu na vastidão

Num céu primoroso, onde a aurora se anuncia, são escolhidas as cores pra aquarelar a luz de um dia perfeito

Da antiguidade o céu marca estações, serve de mapa ou revela o estado do tempo. Mesmo a ciência identificando sua composição e que ele não consiste num círculo batido sobre a superfície terrestre, sua poesia continua a fascinar e nos levar a contemplação.

A supremacia do amor [1 Coríntios 13]

Tudo vai deixar de existir, até o conhecimento e os idiomas, mas o amor irá permanecer porque sua essência é eterna

O amor é sensação, mas também força, salvação e poder de mudança. Nessa releitura do capítulo mais conhecido sobre o sentimento que dá sentido a existência, podemos mergulhar numa perspectiva poética sobre sua largura e profundidade.

As mágicas que papai faz

Tirar coelho da cartola, adivinhar carta ou serrar alguém no meio é coisa do passado, papai está em outro nível

Nas brincadeiras papai pode ser tudo: de bandido a herói, mas ele costuma fazer mágicas de verdadinha, daquelas que não estão em manuais de mágica. As quais nenhum ilusionista consegue reproduzir, apenas as mãos de papai é as que podem fazer.

A segurança a desabar do céu

A chuva a desabar do céu pode trazer mais que água pra regar a vida, talvez seja um convite pra chovermos liberdade

O céu cinzento avisa que a chuva vai cair. Algumas tratam procurar abrigo, outros se preocupam se ela vai atrapalhar seus planos, tem quem se assuste e aqueles que enxergam na tempestade o mistério da insondável grandeza se aproximando de nós.

Mamãe, o acorde mais perfumado

Toda mãe tem uma fragrância única, composta de diferentes notas olfativas que chegam as nossos sentidos através do respirar.

Seu perfume invade a mente, arrancando memórias cheias de vivacidade; momentos de graça, afago e ensinamentos. De longe já pode ser sentido e a aproximação faz querer ficar juntinho pra desfrutar do calor e do carinho que só mãe pode dar.

O medo que me paralisa

De todas as emoções que estamos sujeitos o medo é uma das mais básicas, difícil é encontrar quem nunca o experimentou

Mesmo aterrador a ponto de imobilizar, dificultando a possibilidade de fuga e a tomada de decisões racionais ao surgir de forma inconsciente – onde só nos damos conta quando chegou – é possível escolher como reagir pra conter os seus efeitos.

Quero viver tudo que sinto

Mudança pode ocorrer por diversos motivos, como estética, qualidade de vida, ideologia, superação, medo, desejo de agradar, etc.

A força mais poderosa é o inconformismo, pois leva a busca de práticas que encaminham pra uma nova vida, transformada e capaz de inspirar. Pra isso é preciso conhecer a verdade porque ela é quem ajuda a nos apropriar dessa nova identidade.

Nome e aparência incoerentes

É inegável o poder de atração que o belo exerce sobre nós, ainda mais quando somos envolvidos por seus encantos

Vivemos numa sociedade que cultua a aparência, dando-lhe atenção, curtidas e até sentenças menos duras. Mas a aparência pode enganar e até ser mortal porque o exterior não retrata com exatidão essência, nem saúde física ou emocional.

Aquilo de que mais preciso

Sem energia nada pode se mover e a não ser que algo conceda força tudo permanecerá em completa paralisação

Caso um corpo permaneça em repouso por muito tempo, a vida se interrompe e ocorre a putrefação. O jeito mais básico de fornecer energia é através da alimentação, mas há coisas que precisam de força e que nem a musculação pode conceder.

Esse é mais um dia daqueles

Em mais um dia estranho, transitando por lugares desconhecidos, sob o tempo que se fecha aonde iremos chegar?

Quando a mente chega a percepção que tudo já foi experimentado e as motivações se desfazem em neblina, buscar outra rota pode apenas nos levar na direção da bad, que tentará possuir nosso corpo; transformando esse momento em dor.

Velocidade que a poesia alcançou

Um átimo bastou pra velocidade acelerar e sem respeitar sinalização ou limites, a fuga seguiu em rapidez assustadora

Pra trás ficou qualquer controle. Seguindo em desdobramentos incontáveis o deslocamento prosseguiu sem atentar pra tempo ou barreiras – físicas e subjetivas. Nada podia deter a pretensão de seguir em direção a um destino desconhecido.

Página anterior Próxima página