artigo de opinião

Amores descartáveis não se reciclam

Como seres sociais somos impulsionados por um desejo inconsciente de conexão que dê sentido ao que fazemos

O problema em aderir à cultura do desapego que faz parecer legal não se abrir com ninguém – enquanto a gente passa o rodo – é que a praticidade e a duração dos instantes de prazer não são suficientes pra convencer a gente de querer ficar.

Histórias de vida que precisam ser contadas

Considerada um aspecto da inteligência emocional, a empatia é uma habilidade de perceber o estado do outro

Sobrecarregados acabamos mais ouvindo que escutando, porque mesmo off-line a gente não desconecta; apenas deixamos as palavras passarem por nós e o que pode ser importante acaba entrando por um ouvido e saindo pelo outro sem notarmos.

Apagando reflexos com a sua luz

Deixemos nossa luz brilhar, mesmo pequena, porque o seu tamanho é o suficiente pra iluminar toda escuridão

A preexistência da essência que soprou a vida em nós também pode ser encontrada na matéria a qual somos formados. Não apenas somos um universo particular em nossas complexidades: temos o universo dentro em nós.

A cilada na grama do vizinho

O ditado pop "a grama do vizinho é sempre mais verde" nunca fez tanto sentido como nessa era de tanta exposição

Tudo que não temos é incrível demais porque não sabemos os sacrifícios diários necessários pra obtê-lo. Ser bem-sucedido em algo pode não significar uma vida incrível, até porque pra obter sucesso é preciso dedicação – que talvez desequilibre outras áreas.

Derretendo de tanta beleza

A atração da beleza está tão enraizada em nosso subconsciente que alguns cientistas a consideram biológica

Da mesma forma o viés que “tudo o que é bonito é bom” torna a aparência atrativa, somos levados pelo inconsciente a valorizar a estética, feito mariposas em busca de luz. Algo que pode ser perigoso, levando a nos envolver com pessoas vazias.

Forças disfarçadas de tragédias

Ajudar as pessoas é um investimento de alto riso, porque podemos perder nosso tempo e os recursos utilizados

Exercer os músculos da compaixão resulta em mais que um sorriso no rosto, traz realização e prosperidade nas esferas pessoal e profissional, além nos desenvolver como melhores seres humanos a medida que fazemos diferença na vida das pessoas.

Envolvidos pelas profundezas do amor

Sem o amor, mesmo tendo conhecimento profundo ou poderes o que falamos não causa efeito algum, só faz barulho

Tudo começa com amor, ele é a base de profundas entregas e buscas que ultrapassam limitações; levando a conquistas improváveis. Ainda que custe a vida o fato de nos render é o que ressignifica e dá sentido a todas as coisas.

Empoderados pelos hormônios

Nossos cérebros funcionam através da experiência, toda vez que os neuroquímicos surgem conexões são realizadas

No momento em que nos dedicamos ao que gostamos isso potencializa a liberação dos hormônios, possibilitando a suspensão do tempo. Tal abstração leva a desconsiderar os demais estímulos, ruídos e ignorar até mesmo necessidades fisiológicas.

A maturidade que os anos não trazem

O tempo proporciona responder às situações de maneira adequada, mas o amadurecimento não tem a ver com idade

Maturidade é mais um conceito aplicado a diversas características que melhoram nossa postura e convivência que um upgrade único, assim é necessário continuarmos em evolução pra lidarmos com diferentes tipos de desafios.

Basta de ser controlado pelo medo

Se deparar com algo assustador faz nosso corpo entrar no automático e nos congelar ou fazer a gente sair correndo

Diante do medo, por mais que fugir seja uma reação automática, existem coisas que exigem de nós mais que fôlego, força nas pernas e condicionamento físico: é preciso enfrentá-las pra deixarem de ter poder sobre nós e nossas emoções.

Como ficar conhecido sem precisar apelar

Nossas palavras usam a medida da percepção, logo podem acabar se mostrando incoerentes, além de nos tornar insensatos

Muito do que comentamos do outro, diz mais sobre quem somos que a gente gostaria de admitir, mas quando falamos de nós mesmos isso pode não traduzir a realidade. A ótica que utiliza intenções descritivas pra desenhar quem somos pode não ser exata.

O verdadeiro culpado pelo coronavírus

Parece haver algo nefasto por trás da pandemia que vem ceifando inúmeras vidas e botou o mundo inteiro refém

Com o número de mortes crescendo a cada dia, não há como negar o clima de terror espreitando nossas interações. Tudo isso seria resultado de uma guerra biológica iniciada por algum governo com desejos sombrios ou apenas consequência da tecnologia?

Página anterior Próxima página