insight

Esse é mais um dia daqueles

Em mais um dia estranho, transitando por lugares desconhecidos, sob o tempo que se fecha aonde iremos chegar?

Quando a mente chega a percepção que tudo já foi experimentado e as motivações se desfazem em neblina, buscar outra rota pode apenas nos levar na direção da bad, que tentará possuir nosso corpo; transformando esse momento em dor.

Velocidade que a poesia alcançou

Um átimo bastou pra velocidade acelerar e sem respeitar sinalização ou limites, a fuga seguiu em rapidez assustadora

Pra trás ficou qualquer controle. Seguindo em desdobramentos incontáveis o deslocamento prosseguiu sem atentar pra tempo ou barreiras – físicas e subjetivas. Nada podia deter a pretensão de seguir em direção a um destino desconhecido.

Do alto veio o mergulho mortal

Na escuridão da vida é possível ver novas, supernovas e hipernovas em mistérios e luz convidando a um mergulho

A obscuridade que ronda, levando a tristeza e a solidão – até fazendo desejar a morte – pode ser o desejo de ir além da aparência, quebrar padrões e formas, e conhecer a profundidade que dá sentido a vida.

No deserto vi a maldade em mim

Por que é que a gente sofre tantas coias ruins? Qual a causa de tanto mal pra humanidade e por que D-s não faz nada?

Por que é que a gente sofre tantas coias ruins? Qual a causa de tanto mal pra humanidade e por que D-s não faz nada, enquanto tudo parece caminhar a passos largos pra destruição, sem direito algum a retorno ou qualquer chance de final feliz?

A gente costuma procurar no outro – ou mesmo em D-s – o motivo das coisas não estarem bem, mas quanto será – das decisões que tomamos ou daquilo que a gente resolve não agir – está sendo responsável pelo que a gente tem passado?

Página anterior Próxima página