É sorriso que não se quer acabar,
É felicidade que não cansa de chegar,
É uma ardência que só faz aumentar,
É o fôlego que custa a terminar.

É toque que chega a arrepiar,
É um arfar de sons e respirar,
É alegria pelos olhos a escapar,
É a alma na janela a debruçar.

É se doar sem reciprocidade esperar,
É de toda vontade se entregar,
É no peito que consola se abrigar,
É no braço que envolve conforto achar.

É saber que eternidade não dá pra domar
E que o agora é o melhor pra aproveitar,
É se refazer cada vez que distanciar
E quando ocorrer o encontro se extasiar.

É as emoções mais intensas vivenciar,
É sensações escondidas experimentar
E sem temer cair, no impulso se lançar
É a pele de pequenas pressões lotar.

É pelo nome a felicidade chamar,
E com ela de mãos dadas passear,
É palavra que, sem toque, faz arrepiar,
É o entrelaçar de dedos sem soltar.

É sangue que pulsa apenas no pensar,
É vontade que não deixa olvidar,
É saudade do que ainda se irá provar,
É não temer a escuridão atravessar.

É calmaria que faz intensidade aumentar,
É de olhos bem abertos voltar a sonhar,
É dizer o que no coração está a acumular,
É tocar a pele com a boca e desejos arrancar.

É mão que desliza pela nuca pra perto puxar,
É a sensação de exclusividade que faz atentar,
É calor que, mesmo sem sol, faz a pele aquentar,
É deixar o mistério correr sem sentido buscar.

É se perder nos beijos e no abraço se encontrar,
É certeza do bem que se goza por ao lado estar,
É nos encontros, sentir o coração acelerar,
É saber que toda beleza se resgata no olhar.

É vontade de segurar pra partida evitar,
É tempo que, na distância, custa a passar
E que perde o sentido quando junto se está
É o sabor na boca mesmo sem drops chupar

É olhar na direção certa a se encontrar,
É sensação de boas vibrações a inundar,
É quando as palavras estão a esgotar,
E tomar o teu rosto me inspira a poetizar.


#freetalk

Sabe a coisa boa que surge apenas de falar com aquela pessoa especial, daí você vai sentindo diversas sensações, enquanto imagina o que com ela deseja experimentar ou apenas reviver o que já teve?

Bem, foi assim que nasceu esse poema, ele surgiu como uma definição, que foi ganhando estrofes, com rimas emendando sentimentos, enquanto o rascunhava nas sobras de branco de um folheto. Todas as palavras do mundo ainda não iam bastar pra poesificar as sensações experimentadas enquanto escrevia.

É meio que impossível encontrar algum poema meu com rima – faço o possível pra evitar isso – mas esse é a exceção a regra, já que procurei deixá-lo o mais próximo à naturalidade com que ele se formou ao pensar em quão multiforme e plurificado pode ser o significado de amor pra cada um de nós.

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura

inversivelpoema poema poesia poesiainversivel poesificando soundtrack