folder Arquivado em Poesificando
Aquilo de que mais preciso
Sem energia corpo algum pode se mover e, a menos, que haja o que lhe conceda força não há como sair da estagnação.
Mishael Mendes access_time 3 min. de leitura

Tudo o que necessito é de forças
Pra ser grande, maior do que sou
Ultrapassar essa minha estatura
Pra alcançar os maiores sonhos.

Tudo o que necessito é de forças
Pra propagar minhas convicções
Levar o meu propósito onde seja,
É impreterível plantar a semente.

Tudo o que necessito é de forças
Pra exceder cada uma das falhas,
Fracassos, quedas ou deficiências
Até conseguir alcançar a plenidão.

Tudo o que necessito é de forças
Não de iluminação ou dormência,
Inconsciência, perder os sentidos,
Nem de sensações ou percepção.

Tudo o que necessito é de forças
Pra derrotar aquilo que é preciso
Negar ardência de meus desejos,
Escolher abdicar o livre arbítrio.

Tudo o que necessito é de forças
Pras escolhas serem conscientes
Elencadas pelas letras sagradas
Que me refulgem desde o berço.

Tudo o que necessito é de forças
Pra poder superabundar na graça
Exalando o perfume tão aprazível
Enquanto resplandeço a nívea luz.

Tudo o que necessito é de forças
Pra decidir entre a morte e a vida
Optando pela escolha mais difícil
Assim avançar sem ser por vista.

Tudo o que necessito é de forças
Pra eliminar as minhas fraquezas
Dispersar os julgamentos e pesos
Ter onde, em segurança, repousar.

Tudo o que necessito é de forças
Pra perpassar na direção correta
Prosseguir no caminho afunilado
E que conduz à águas tranquilas.

Tudo o que necessito é de forças
Pra ultrapassar vale de escuridão
Onde sou confrontado pela morte
E o vácuo é quem faz companhia.

Tudo o que necessito é de forças
Vencer quem o espelho me revela,
Negando vontades, carregar cruz,
E me por sob o julgo de fardo leve.

Tudo o que necessito é de forças
Da alegria que me concede poder
Verter lágrima no ápice do júbilo
E saltitar de felicidade na tristeza.

Tudo o que necessito é de forças
Pra ter ousadia e apenas avançar
Não temer consequência alguma
Seguir sem os olhos voltar atrás.

Tudo o que necessito é de forças
Pra ser livre do medo e apreensão
Com um capacete blindar a mente
Contra qualquer tipo de acusação.

Tudo o que necessito é de forças
Renovar o vigor que há em mim
Sem cansar de andejar ou correr
E como águia alcançar o alto céu.

Tudo o que necessito é de forças
Pra ter a estabilidade dos montes
Que não abalam com o forte mar
Mantendo-se firmes em seu lugar.

Tudo o que necessito é de forças
Pra conseguir exceder a matéria
Alcançando aquilo que não se vê
Só se ouve, sem conhecer a rota.

Tudo o que necessito é de forças
Pra sair de tal condição estática
Que toda vitalidade parece sugar
Deixando restar um pouco de ar.

Tudo o que necessito é de forças
Que músculos não proporcionam
A alimentação não pode fornecer
Nem a vontade consegue evocar.


#freetalk

Qualquer corpo precisa de energia pra se manter, mas ele mesmo não a pode gerar – conforme a primeira lei da termodinâmica – é necessário algo pra fornecê-la, no caso do corpo humano, isso ocorre através de nutrientes, principalmente de carboidratos e gorduras, dos quais o organismo abstrai a glicose.

A própria interação entre corpos ou o meio possibilita ganho/perca de energia, como acontece com a eletricidade estática – que se deposita conforme há fricção – quando se trata de calor, o processo de transferência de energia ocorre por meio da radiação, condução e convecção. É somente através da troca que a energia pode ser transformada, retida e daí utilizada/dispersada, mas e o que alimenta o impalpável – feito apenas de energia – ou ainda sustenta o desejo de continuar mesmo em meio as dificuldades, afinal, qual é a fonte primordial de energia do universo [Hebreus 1.3]?

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura

academia energia física força força motriz inversivelpoema musculação poema poesia poesiainversivel poesificando soundtrack