folder Arquivado em Coolture
Death Note – Os mangás perdidos
Por Mishael Mendes access_time 10 min. de leitura

Além dos 12 volumes de Death Note, existem outros mangás que apresentam detalhes desconhecidos e bastante interessantes, entre eles como fazer pra ressuscitar pessoas, o maior caso intelectual que L já teve que resolver e como novas mortes voltam a acontecer mesmo após a morte de Kira.

Esses mangás perdidos dão uma nova perspectiva do universo obscuro de Death Note, além de ampliar a visão, ajudarão a entender melhor algumas das adaptações já produzidas sobre a série – você pode assistir todas elas aqui!

Seja pra divulgar o lançamento da história, completá-la ou apenas aproveitando o sucesso da saga, esses mangás trazem informações complementares surpreendentes.

Além de conhecer cada mangá, você ainda pode obter a box Death Note Inversível Edition – a edição 2019 ou 2020 – um pack exclusivo com todas as edições já lanças em versão deluxe + um raro mangá, que você não encontra pra leitura nem mesmo online ou disponível pra compra! 😍👏👏

Para ler ou baixar os mangás, basta clicar nos respectivos títulos.

2003 – Death Note – Episode 0 (One-shot Piloto)

Death Note – Episode 0 (One-shot Piloto)

Antes da saga de Death Note iniciar, foi lançado, em 2003, um capítulo piloto, também na Weekly Shonen Jump. No one-shot o caderno é encontrado por Taro Kagami, um estudante de 13 anos, que sofria de bullying de alguns colegas da escola. Como Ryuk ainda não tinha escrito nenhuma regra, o garoto resolve usar o caderno como diário e qual não foi a surpresa ao descobrir que o nome dos valentões escritos, morreram?

Sem associar os fatos ao perigo do caderno, Taro usa novamente o “diário” e outros valentões também morrem, só então ele se dá conta de que algo está errado, é quando Ryuk aparece e diz que o garoto é quem matou os colegas, fazendo o moleque tremer na base, ainda mais depois da polícia começar a investigar a classe dele, em especial os que sofriam nas mãos dos garotos assassinados.

A questão do bullying, abordada no episódio piloto, também foi explorada no dorama de 2015, assim como na adaptação da Netflix.

Como se isso não fosse problema suficiente, Taro fica sabendo que Ryuk deixou cair “acidentalmente” outro Death Note, que logo descobre que Miura, outro colega que também sofria de bullying, está de posse dele. Após convencer o colega a confessar tudo pra polícia, as autoridades resolvem queimar os cadernos após ficar constatado seu poder e, vida que segue, tudo continua suavão, até 7 anos depois, Taro e Ryuk lerem boatos que especulam que o Death Note pode realmente existir – o que seria a introdução pra saga.

2003-2006 – Death Note

Death Note Mangás

Os capítulos foram serializados na revista semanal japonesa Weekly Shōnen Jump de 2003 a 2006, sendo compilados depois num mangá dividido em 12 volumes.

Neles acompanhamos a história de um jovem que se perde nas próprias intenções de criar um lugar onde pessoas de bom coração possam desfrutar a paz e conhecemos um psicopata frio e calculista, que deseja apenas ser o deus desse novo mundo, assim as motivações que eram boas são envenenadas pelo caderno que possui o poder da morte.

O mangá traz uma surpreendente história escrita por Tsugumi Ohba e excelentes desenhos de Takeshi Obata, que ilustram de forma viva cada detalhe da narrativa. Cheio de reviravoltas, a melhor parte é o embate intelectual entre Kira e L, onde o mais inteligente é quem sobreviverá – será mesmo?

2004 – Bobobo-bo Bo-bobo (Parody One-shot)

Bobobo-bo Bo-bobo (Parody One-shot)

Após o capítulo 18 (Vazio/ Gaze) ser lançado no Japão, o mangaká Yoshio Sawai, fez um episódio especial de Bo-bobo parodiando Death Note. Apesar de contar com mudanças visuais – devido ao estilo de desenho diferente – a história narrada é a mesma, com L aumentando a vigilância sobre Light pra provar que ele é o verdadeiro Kira, mas com ajuda de Ryuk o garoto consegue escapar.

O elenco é interpretado pelos personagens de Bo-bobo que, com seu estilo mais cômico, consegue fazer uma releitura cheia de humor e mais leve – o que dá um espaço pra respirar, já que a versão original é bem mais tensa. A releitura ficou bem interessante e vale a pena ser lida.

Em resposta a paródia, Takeshi Obata acabou fazendo sua versão de Bo-bobo, parodiando o episódio 153 do quadrinho.

2009 – L FILE Nº. 15 (One-shot)

Death Note L FILE Nº. 15 (One-shot)

Lançado em 2008, junto com o filme “L: Change the WorLd”, trata-se de um livro com fotos de Mika Ninagawa do ator Kenichi Matsuyama, que fez o papel de L na trilogia live-action de Death Note.

Além de uma entrevista com Tsugumi Ohba, o autor de Death Note, o livro ainda traz dois capítulos curtos ilustrados por Takeshi Obata.

O primeiro deles é “L: The Wammy’s House”, que mostra o que levou L a se tornar o maior detetive de todo mundo e como fez sua fortuna – algo que gasta feito água! Aqui vemos sua mania de entregar pedidos pra Watari, algo também visto no dorama de 2015.

Já o segundo é “L: One Day” que traz informações reveladoras, como por exemplo, a forma que L toma banho, sua maneira peculiar de dormir, entre vários acontecimentos diários. Ainda vemos sua obsessão por camisetas brancas, que são lavadas e vestidas nele por Watari, características também bastante exploradas no dorama de 2015.

2006 – Another Note Los Angeles BB Murder Cases (Renzoku Satsujin Jiken) – Novel

Another Note Los Angeles BB Murder Cases (Renzoku Satsujin Jiken) – Novel

Quando vi Death Note pela primeira vez, uma das personagens que mais me chamou a atenção pelo senso aguçado de investigação – pique Sherlock Holms – foi Naomi Misora, a noiva de Raye Penber, o agente do FBI responsável por investigar Raito.

Depois da morte do noivo ela consegue, com poucas pistas, refazer o trajeto até Kira, embora ele a alcance antes dela contactar L. Quando o detetive fica sabendo do envolvimento de Naomi, diz que ela trabalhou com ele no caso “Los Angeles BB Murder”.

Essa novel, lançada em 2006, traz texto de Tsugumi Ohba e ilustrações de Takeshi Obata, com detalhes do caso, onde um serial killer a solta em Los Angeles, tem deixado, além de assassinatos bárbaros, pistas que formam um roteiro indecifrável que podem levar ao próximo crime.

Por se tratar de um caso difícil de ser resolvido L – o maior detetive do mundo e que resolveu 3.500 casos complicados – acaba entrando em cena, mas dessa vez precisará da ajuda da agente Naomi Misora que, apesar de estar de licença, aceita participar da investigação e será ela quem terá de encontrar os corpos e pistas, enquanto L trava uma verdadeira batalha de inteligência com Beyonde Birthday – um psicopata inteligente e perfeccionista, que criou um verdadeiro enigma psicótico.

2008 – Death Note Tokubetsu-hen (One-shot)

Death Note Tokubetsu-hen (One-shot)

Conhecido como capítulo especial ou 109, esse one-shot trata-se de um epílogo, publicado em 2008, na revista Shonen Jump, como parte do filme live-action “L: Change the WorLd”.

O especial conta que 3 anos após a morte de Kira, uma nova onda de assassinatos surge no Japão, mas dessa vez apenas os idosos estão sendo mortos – seria a forma encontrada pela previdência social pra resolver seus problemas ou isso foi causado pelo coronavírus?

A princípio as pessoas buscam explicações palpáveis, algo que também vemos na live-action New Generation, de 2016, até que fica claro que os métodos são os mesmo de Kira.

O novo Kira, Midora, recebeu o Death Note de Meadra, um shinigami que conseguiu um caderno extra do Rei Shinigami ao lhe dar 13 maçãs tragas do mundo humano, com ele em posse Midora passa a eliminar os idosos pra aliviar as dores traga pela idade avançada.

Como L morto, a investigação fica por conta de Near – cujo verdadeiro nome é Nate River – que não parece muito disposta a resolver o caso. Near conta como foi sua única conversa diretamente com L, através do computador, onde o detetive admite que resolve casos difíceis apenas por hobby e não por senso de justiça.

Após pensar bastante como o verdadeiro L resolveria o caso, Near conclui que o novo Kira trata-se apenas de um assassino um C-Kira (Cheap Kira) – uma versão pobre do original. Pra provocar, Near surge como L, dizendo não estar interessado no caso, já que o Kira atual não é o verdadeiro, apenas um assassino sem propósito.

Isso faz com que C-Kira escreva o próprio nome na Death Note, acabando rapidamente com a graça de Meadra que, ao voltar pro mundo shinigami, dá o caderno pra Ryuk, frustrado com sua breve experiência.

2020 – Death Note (One-Shot Especial)

Death Note (One-Shot Especial)

Uma história de Death Note nos tempos atuais é gratuito pra leitura on-line – em inglês ou espanhol – a narrativa se situa em 2019, após Meadra desistir de usar o Death Note – conforme é contado no one-shot Death Note Tokubetsu-hen. Ryuk então parte pra encontrar Minoru Tanaka, um garoto que, apesar de sempre se sair bem em testes de QI, não tem boas notas, e o faz lembrar do acordo, de dois anos atrás, de ter um tempo pra decidir o que faria com a posse do caderno.

Pra surpresa de Ryuk, ao invés de continuar o legado de Kira, Minoru resolve vendê-lo. O que não será uma tarefa fácil, já que com uma tecnologia que permite rastrear tudo que é feito, será difícil não ser pego enquanto organiza um leilão pra se desfazer do objeto mortal – exatamente aí que o garoto se mostrará perspicaz.

O interesse em obter uma arma tão poderosa começa a atrair chefes de nações, elevando os lances a valores absurdos, fazendo Minoru se dar conta de que o real problema pode estar em como fazer pra receber uma soma astronômica sem ser pego – enquanto isso Near segue na captura de quem será o verdadeiro comprador.

Ósculos e amplexos,

Mishael Mendes Assinatura

Com informações de
Mangá Host
Wikia – 1, 2, 3, 4
My Anime List – 1, 2, 3
Wikiwand
Fandom
Wikipédia
Geeks in Action
Crunchyroll