Se você olhasse pela agora janela, o que poderia ver?
Seria um céu azulado, cheio de salpicos de nuvens?
O tempo fechado em cinza, ameaçando desabar?
Uma chuva refrescante vinda pra amenizar o calor?

Talvez uma noite estrelada, com lua brilhando altiva?
O nascer do dia, iluminado, pondo fim a escuridão?
Lá fora o dia pode até sorrir, mas é sempre mutável,
Já quando miro teus olhos, tudo o que vejo neles é

Liberdade, me conduz cada um dos pensamentos,
Corro na saudosa infância, sem temer a felicidade,
Encontro paz conduzindo por verdejantes lugares,
Enquanto navego calmamente nas águas tranquilas

Porque sei que o fluxo vai seguindo na direção certa.
Foi teu beijo que inspirou, sentimento floriu na pele
Seu perfumado cheiro me grudou em tantos lugares
Toda vez que o vento bate ele exala pelo meu corpo.

Seu beijo, boca, mãos e pele, fazem com que me perca
Então emerjo das sensações e começo a me encontrar,
Da cabeça aos pés você arrepia, me eriçando os pelos,
Ainda assim sinto-me inundar por completa calmaria.

Seu olhar consegue roubar todas as palavras da boca
Até mesmo as que ainda nem cheguei a pensar dizer,
Ele desperta as melhores sensações, prazer, cuidado,
Aumentando a vontade de nunca mais me separar.

Depois que você veio, difícil é aceitar a tua ausência,
Mas a saudade serve pra aumentar o desejo de te ter.
Quando ouço tua voz, acontece algo que só sei sentir,
É bom saber que em algum lugar você pensa em mim.

<p>Janelas costumam ser uma das coisas mais presentes em nossas vidas e também no dia-a-dia, através delas é possível ver o dia desenhar cores e texturas no céu, a chuva lavando casas, árvores, regando a terra seca ou mesmo o vento a soprar folhas no ar.</p>
<p>E se você olhasse agora pela janela, o que poderia ver no retângulo que emoldura a passagem do tempo?</p>
<p>Independente do que ali esteja sendo registrado, é mutável e passageiro, mas existem janelas que podem trazer estabilidade, carinho e segurança e por essas vale a pena saltar, dando um mergulhar.</p>

Existe algo tão bom aqui em mim, que veio trago por ti
Não tem como não lembrar você, só o fato de saber
Que mensagem sua chegou, meu corpo já estremece,
Qualquer hora é uma desculpa boa pra você aparecer.

Ouvir sua voz mexe comigo, seus sussurros no ouvido
Já são suficientes pra me fazer arrepiar completamente
O que foi que você fez pra me deixar tão a fim de você?
Não vou mais me enganar, está em tempo de dar basta,

Acreditar em melhores dias, mantenho-me firme e forte,
Pronto pra amar, abri o coração enquanto sigo pra ti.
Quando te olho, de contentamento vejo o sol nascer
Num céu azul e limpo todos os meus medos ali se vão.

Desejo ganhar seus abraços e te dar beijos demorados,
Você se tornou um vício ao qual não quero mais largar.
De ti, não exijo nada em troca, peço apenas paciência
Pra que a cada dia mais poder sua essência conhecer.

Mas enquanto o dia não raia, te fazendo despertar,
Ouvindo teus áudios, te imagino conversar comigo,
Enquanto o sorriso me escapa tomando todo rosto,
Quero sentir o teu beijo gostoso e roubar teu calor.


#freetalk

Com nossos olhos, é possível perceber tudo a nossa volta, captando momentos e cores, objetos e formas, mas também sentimentos e poesia, sorrisos e sinais que são registrados na memória e eternizados nas lembranças. Nossa visão consegue enxergar além material, atingindo o abstrato, até revelar o que vai à alma, sendo capaz de fornecer luz a nós [Mateus 6.22] e nos fazer chamar atenção.

Entre janelas que se encontram, se pela moldura física, a gente vê o tempo que surge e vai seguindo em clima e cores distintas, pela que revela a alma, é possível encontrar desejo, calmaria, amor, proteção, carinho e um mergulho que vale a pena ser dado e lançar fora medos e temores, pra poder viver uma história que se mostra necessária poesificar – traduzindo em palavras aquilo que só se sabe sentir.

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura