Vontade da não existência experimentar,
Dor e prazer do vislumbrar ininterrupto,
Luz que ilumina mostrando a escuridão,
Em mim contraditório pensamento fatal.

Vida e morte, juntas vão impulsionando,
Alegria do constante e excruciante sofrer,
Apesar do viver não ser somente aflição,
Os momentos de pesar parecem insuflar,

Infla mais que a alegria das tardes de verão,
Ensolarado prazer desfrutado com queridos.
O pesar de um sonho pode ser tonelástico
Pra que possa ser carrega por apenas um ser,

Você contra o mundo, mas ele te desconhece.
Usar escuridão como propulsora força motriz
É algo periculoso e inflamável como o etanol,
Ainda assim, tão necessário pra poder atingir

Maior distância, com latente rapidez alcançar,
Que me possa levar antes do futuro vir a ser.
Cada tropeço é dor e motivo pra poesificar,
Epifânica lucidez, revela frágil humanidade.

Dor expõe debilidade, criando divisões e limites,
Onde se encontra o ponto de partida pra longe ir.
Quem tem consciência de sua própria ignorância
Pode até não conseguir sanar o mal dentro de si,

Mas é mais sábio que o versado no ilusório saber.
Ter consciência das limitações permite ultrapassar
Mapa que te localiza, dando sentidos e direções,
Segunda estrela à direita, direto até o amanhecer.

Morada que se esconde nas nuvens, suspensa no ar,
Oculta por aglomerados de diminutas gotas e cristais
Que não desaparecem mesmo depois de aqui chover,
Te encobre celeste corpo gasoso com o próprio luzir.

A vontade de autossabotagem pode ser grande,
Mas a resistência e a fuga faz ser bem mais forte.
Sonho, compulsório insight, fatuidade que emerge
Vezes uma ou outra escorrem sem se concretizar,

Alimento da alma e da esperança do pobre mortal,
Combustível que catapulta a uma estreita senda.
Chegar mais alto, elevar-se até poder tocar o céu,
Não deve ser apenas poesia, mas propulsão física,

Embora alçar novas alturas, dantes desconhecidas
Provê deslumbrante vista, pode aumentar a pressão,
Resultante peso infindo, maior que a dor possa ter,
Quanto mais perto da luz, mais a visão corre perigo,

Asas se desfazem, derretendo, proporcionam queda.
Pra chegar-se alto, deve-se ter além das motivações,
Consciência do preço, coração mais leve que pluma,
O universo brilhando nos olhos, o corpo se torna luz,

Apesar dos inconstantes desconhecidos à espreita,
A visão do alto permite a compreensão transcender,
Não há o que possa tocar com mais profundidade,
Beleza possibilitada pelo que a dor faz perceber

Brilho, nos olhos inertes pelo que não conquistou,
Intensa procura, em imersões levadas pelas ondas.
A busca em si, é maior que a glória de conquistas,
Permite encontros, descobertas, desdobramentos,

Cada erro traça o caminho rumo ao aprendizado,
Enquanto a conquista, do sossego traz o conforto,
Levando ao comodismo de se ter alcançado o topo,
Mas todo aquele que permanece orgulhoso, no pico,

Negando-se a descer, atrás de outras conquistas ir,
Morre congelado pelo esplendor do que se passou,
Enquanto há quem encontre patamar mais elevado,
Alcançando maior honraria, fama e esclarecimento.


#freetalk

Afinal, do que a gente é composto? Barro, quase pó; elementos nobres, vitaminas, minerais, carboidratos, fibras e proteínas; poeira estelar; reações físico-químico-biológicas; matéria, sombra do impalpável; a soma de nossos erros e acertos ou um pouco disso e muito mais?

É difícil dar uma definição direta sem incorrer no subjetivismo ou na simploriedade. Somos mais que, até sonhos e pensamentos possam alcançar, misterioso interno universo interestelar.

Dor assusta, provoca, traz peso e incômodo, mas também faz parte do crescimento – assim como os erros que vão assinalando os trajetos que não devem ser percorridos – ela serve pra trazer despertamento, por isso não a use pra se isolar ou se lançar no poço da tristeza. A vida, às vezes, parece bastante dicotômica, mas se você permitir, vai poder enxergar além da visão e ver as cores que iluminam a vida – que, independente do que se experenciou, a candeia nos ilumine, fornecendo luz ao corpo [Mateus 6.22-23].

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura