Um lugar pra conhecer a profundidade das coisas

Nada [in]definido, numa inconstante conjunção

Nada [in]definido, numa inconstante conjunção

Não há nada tão simples como o nada,
Trazendo em si mesmo a explicação do que é,
Um vazio, sem sombra do que quer que seja,
Do qual nada mais pode ser dito.
Assim segue ele, sua vida de insignificância.

Nada é absolutamente coisa nenhuma!
E o que poderia ele ser além disso?
Somente um amontoado de coisa alguma.
Mas se o nada limita-se a sua insignificância,
Seu valor será de nada elevado a nona potência.

continue lendo »

Um cara totalmente apaixonado por música, se deixar ele não quer fazer nada sem uma boa trilha sonora. Amante de fotografia, livros, animais e comida boa – principalmente a da mãezona.
Criou o blog e o canal pra compartilhar sua visão inversível da vida.