episodioanterior

Conhecer alguém legal não é tão difícil, basta se abrir pra novas oportunidades, foi isso que Alexey percebeu, mas talvez ele tenha se empolgado demais, assim acabou se decepcionando bem rápido, até que resolver insistir.

A partir daí, enquanto um descobria um pouco mais do outro, o interesse aumentou. Embora Lara tenha ficado insegura porque ele parecia perfeito demais, quem ficou de queixo caído foi Alexey ao descobrir do que ela era capaz.

Acompanhe a minissérie » EP 1EP 2EP 3EP 4


A noite carregava a serenidade nas asas, enquanto um ar refrescante era soprado, tornando o tempo agradável, ainda mais depois de Alexey correr bastante, a roupa parecia transpirar. Como tinha parado a pouco tempo a temperatura do corpo ainda estava alta, daí que a pele não parava de suar – o que tornava o vento mais prazeroso.

Quando estava prestes a entrar no banho – por volta das sete da noite – chega uma mensagem de Lara, sugerindo pra aproveitar o tempo bom pra se verem, assim não precisava esperar até o dia seguinte.

— Tô com vontade de você! – Ela mandou emoji de olhos pidões.

Alexey se sentiu tentado a aceitar, só que como tinha uma pilha de roupas pra lavar foi obrigado a dizer que, apesar de não ver a hora de encontrá-la, não ia poder, mas garantiu que no dia seguinte compensava passando bastante tempo juntinho já que estava de folga – algo raro de acontecer no feriado, as folgas costumavam ser em dias comuns.

— Que pena! Então o jeito é esperar até amanhã. – Lara se conformou.

— Cê consegue fazer isso?

— Sim! E você, vai resistir esperar pra me ver?

— Claro! Pra quem aguentou até agora, dá pra esperar até amanhã.

— Que bom, boa noite, amor!

— Boa noite, bebê! Os melhores sonhos pra você.

— Só se eu sonhar contigo.

— Hownmm… uma bebê dessas a gente só quer cuidar! Tô ansioso pra te ver.

“Conhecer alguém legal não é tão difícil, basta se abrir pra novas oportunidades.”

Após encerrar a conversa, Lara correu pra cozinha e foi preparar seu delicioso bolo de prestígio, que tinha criado anos atrás ao pegar uma receita gostosa de bolo de chocolate vegano, sem farinha de trigo e com cobertura de creme de abacate, daí foi só adicionar o coco, com leite condensado vegano pra ficar irresistível.

Desde criança ela vivia em meio as panelas, levando cotoveladas na cabeça – porque insistia de ficar perto de quem trabalhava na cozinha – mas ela se quer chorava, o encanto de ver como ficavam bonitas e apetitosas as maiores delícias preparadas pela mãe, Shailene, acabava sendo maior.

A mãe tinha aprendido a cozinhar com a vó Einat, que aprendeu com a mãe dela, assim sucessivamente, ou seja, a veia culinária já vinha de várias gerações – raízes têm a ver com alimento e firmeza, mas também conexão, elas são os laços com nossos antepassados, por onde nos são transmitidas gostos e aptidões. Enquanto isso a vó apenas gerenciava a padaria de Shailene – dizia que o peso da idade não a deixava dominar os segredos da cozinha como antes.

Lara ainda era pequena quando Shailene descobriu um problema de saúde que a obrigou a ter uma alimentação mais restrita, como tinha apenas as duas na casa, Lara aderiu à dieta pra motivar a mãe.

Os pais eram separados, na verdade, se quer chegaram a casar, o que houve é que no mesmo tempo que ele engravidou Shailene, fez o mesmo com outra mulher, assim ela tinha um irmão gêmeo de outra mãe, mais velho apenas algumas horas – com quem ela se dava superbem. O pai ainda teve mais um filho com a outra mulher, mas no final casou com uma terceira que agregou a família mais um irmão – o mais novo e xodó de todos.

Uma das coisas preferidas de Lara era ajudar a preparar ou confeitar os doces, a única coisa proibida era mexer no forno, de resto estava tudo liberado, inclusive provar as guloseimas depois de prontas – pena que o MasterChef Júnior só surgiu quando ela já não tinha mais idade pra participar, se não teria ganhado facinho.

Apesar da padaria ter várias opções de salgados, o que fazia sucesso mesmo eram os doces e isso deixava Lara bolada, pois mesmo a mãe preparando tanta coisa gostosa, ser quer podia provar – ainda assim não errava a mão.

“Maior injusto isso! Por que as coisas não podem ser mais saudáveis ou pensadas em quem tem restrição alimentar?” – Foi algo que ela se questionou durante alguns anos.

“Raízes têm a ver com alimento e firmeza, mas também conexão, elas são os laços com nossos antepassados, por onde nos são transmitidas gostos e aptidões.”

Aos quatorze, Lara acabou assumindo a padaria, quando a mãe precisou se afastar devido uma cirurgia de risco, a boa disposição e energia da neta acabaram fazendo Einat se sentir descartada e ela foi se afastando – a responsabilidade a mais foi abraçada como bônus liberado. Ao retornar, vendo que Lara tinha dado conta tão bem, Shailene deixou as coisas como estavam, assumindo parte do gerenciamento da padoca.

Nesse tempo, entre cozinha e atendimento, Lara percebeu não se ver fazendo outra coisa e pra aprender mais técnicas foi estudar gastronomia. No meio do curso descobriu o veganismo ao qual aderiu de cabeça – principalmente depois de conhecer toda filosofia pregada.

Daí ela começou a substituir os ingredientes das refeições por opção unicamente vegetal, só que de forma criativa, tanto que os pratos nem pareceriam conter apenas vegetais – tão deliciosos que ficavam. Os que mais se surpreendiam foram os amigos veganos e vegetarianos dela, eles diziam que tinha pouca variedade de alimentos sem origem animal no mercado, ainda mais tão apetitosos.

Após se formar, ela fechou a padaria pra reforma, não apenas estruturalmente, mas também no atendimento e disponibilidade de produtos – reformulando receitas antigas e inserindo outras novidades.

A frente passou a ter apenas vidros que, além de clarear, deu mais visibilidade pras delícias expostas nas prateleiras, no teto foram feitos pontos de claridade com blocos de vidro, aumentando a iluminação natural e as lâmpadas substituídas por luz baixa.

Os rebocos foram removidos, deixando os tijolos a mostra, o balcão e prateleiras trocados por madeira reutilizada e os painéis brilhantes, onde os produtos eram exibidos, alterados por um imenso quadro negro e fotos, dos mais chamativos, emolduradas e espalhadas pelas paredes, além de ser inseridos sofás, pufes e uma estante com diversos livros que podiam ser adquiridos. As mudanças deixaram o ambiente com ar mais rústico, intimista e acolhedor.

Só que a mudança acabou causando certo espanto, não pela modernização que foi recebia com bons olhos, mas porque a antiga e conhecida padoca foi transformada numa doceria vegana – a primeira na cidade dedicada exclusivamente ao nicho – decisão essa bastante ousada, já que o veganismo ainda era pouco conhecido.

Alguns clientes mais tradicionais torceram o nariz, já outros se deixaram conquistar pelos novos sabores – além de vegan ser mais saudável. Com o tempo, a clientela aumentou, graças ao boca a boca e as redes sociais – Lara usava o Instagram pra seduzir os olhos com as fotos dos doces, usando técnicas aprendidas no curso de fotografia, e também criou um blog e um canal pra compartilhar receitas saborosas que podiam ser feitas de forma prática e barata.

Com o apelo visual ela conseguiu despertar a curiosidade de diversas pessoas – algumas vinham de longe – atraídas pelas delícias veganas. As redes sociais se tornaram tão importantes que Lara passou a usar o Twitter pra lançar enquetes e saber a preferências dos seguidores sobre o cardápio e quais os ingredientes que mais gostavam.

Em meio a reeducação alimentar que passou, o que a conquistou no veganismo foi o fato de não se tratar apenas de dieta, mas de um estilo de vida, tendo como filosofia o reequilíbrio da natureza, conseguido a partir da abstenção do consumo de animais, como carne, peixes, moluscos e insetos, ou produtos derivados, como laticínios, ovos e mel, não apenas na alimentação, mas também no vestuário. Evitando ainda produtos testados em animais ou que agridam o meio ambiente, além de lugares que usam bichinhos pra entretenimento.

Formiga como era, o que Lara mais sentiu falta, quando virou vegana, foi do leite condensado, assim saiu fazendo testes e, após diversas tentativas e pesquisas, conseguiu criar um com textura e sabor bastante parecidos ao do original, além de ficar pronto rápido feito miojo – em três minutos apenas. Como o preparo era ágil ela começou por ele – um dos ingredientes principais do recheio do bolo de prestígio.

Leite Condensado Vegano

O que precisa?

  • 1 xícara de leite vegetal em pó;
  • 3/4 de xícara de açúcar demerara;
  • 2 colheres (sopa) de óleo de coco derretido;
  • 1/4 de colher de chá de sal;
  • 1/2 xícara de água quente.

Como faz?

  1. Num liquidificador, bata o leite em pó e o açúcar até misturar bem e pulverizar o açúcar;
  2. Adicione o óleo de coco, o sal, a água e bata até a mistura ficar homogênea e cremosa, por volta de 2 minutos.

É legal saber

  • É possível usar qualquer leite vegetal em pó, como de coco, arroz, soja, etc., mas dependendo do tipo a consistência pode ficar mais líquida. Isso acontece com o leite de coco, embora ele proporcione mais sabor;
  • Pra deixar a mistura mais encorpada, basta deixá-la algumas horas na geladeira;
  • Guardado na geladeira, o leite condensado dura até uma semana.

Claro que Lara levou um pouco mais que três minutos, até organizar tudo de que precisava, preparar os ingredientes e ir provando, mas assim que terminou de fazer o leite condensado, partiu pra parte mais gostosa, iniciar o bolo.

Bolo Prestígio Vegano

O que precisa?

Pra massa
  • 3 maçãs pequenas cortadas em cubo;
  • 1/2 limão;
  • 375 ml de leite vegetal;
  • 1 colher e meia de sopa de vinagre branco;
  • 120 ml de café instantâneo;
  • 2 canecas e meia de farinha de aveia;
  • 2 colheres e meia de sopa de amido de milho;
  • 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio;
  • 1 colher de chá de fermento em pó;
  • 1 pitada de sal;
  • 100 gramas de cacau em pó;
  • 1 caneca de açúcar mascavado;
  • 5 colheres de sopa de azeite.
Pro recheio
  • 395 gramas de leite condensado vegano;
  • 2 vidros de leite de coco;
  • 2 colheres amido de milho;
  • 1 colher de margarina;
  • 200 gramas de coco.
Pra cobertura
  • Quatro abacates pequenos;
  • 200 gramas de chocolate meio amargo em pedaços;
  • 6 colheres de mel.

Como faz?

Massa
  1. Coloque os cubos de maçã numa caneca, esprema o limão, adicione algumas gotas de água e cozinhe em fogo baixo, por volta de 15 minutos, depois amasse bem e reserve;
  2. Em seguida faça buttermilk, pra isso adicione o leite num recipiente e misture com vinagre. Então, coloque o café, misture bem e reserve;
  3. Numa tigela, peneire a farinha e o amido, depois adicione fermento, bicarbonato de sódio, cacau, o açúcar e misture bem;
  4. Adicione o buttermilk, mexendo suavemente, aí acrescente o purê, o azeite e mexa até a mistura ficar homogênea;
  5. Despeje a massa numa forma, forrada com papel vegetal, e leve ao forno pré-aquecido a 180º, deixando assar por volta de 40 minutos.
Recheio
  1. Numa caneca misture o leite condensado, um dos vidros de leite, a margarina e o coco;
  2. Leve ao fogo e mexa até engrossar.
Cobertura
  1. Derreta os pedaços de chocolate no micro-ondas, o tempo costuma durar 2 minutos, mas pare a cada 20 segundos pra evitar ferver;
  2. Numa tigela, descasque os abacates e amasse até virar um creme, então adicione mel, o chocolate derretido e misture bem.
Montagem
  1. Corte o bolo ao meio em seu comprimento e reserve a parte de cima;
  2. Molhe a parte inferior com a outra garrafa de leite, despeje o recheio, distribuindo uniformemente e cubra com a outra metade;
  3. Despeje a cobertura e com uma espátula vá espalhando pra deixar bem distribuída.

É legal saber

  1. O amido de milho pode ser substituído por polvilho doce (amido ou fécula de mandioca), assim como, no lugar do açúcar mascavo, pode ser utilizado açúcar de coco ou demerara;
  2. Pra saber se o bolo está pronto, espete um palito, se ele sair limpo pode desligar o forno;
  3. A decoração pode ser feita usando frutas silvestres congeladas, morango e amora, raspas de coco e lascas de chocolate ou apenas chocolate, ou coco ralado;
  4. O bolo fica ainda mais gostoso geladinho.

Como Lara gostava das coisas o mais natural possível, ao invés de usar coco de saquinho, preferiu ralar a fruta, apesar de não ser tão prático, isso garantia um ingrediente mais fresquinho e suculento – também porque acabava sobrando, daí ela ia comendo enquanto preparava a massa.

Bonito por si só, o bolo nem carecia de decoração sofisticada pra chamar atenção, mas quando exposto na confeitaria ela fazia isso pra deixá-lo mais atraente – talvez por isso fosse o mais pedido da casa. Como gostava de inventar, ela o cobriu com coco ralado fininho, que rapidamente grudou no creme, então ela o botou na geladeira.

Inspirada como estava, Lara resolveu ficar um pouco mais na cozinha e fez um pouco mais de leite condensado, daí preparou brigadeiro de colher – algo que ela simplesmente amava.

Brigadeiro Vegano de Colher

O que precisa?

  • Leite condensado vegano;
  • 150 gramas de chocolate amargo em barra;
  • 4 colheres de sopa de cacau em pó;

Como faz?

  1. Misture os ingredientes numa caneca, leve pro fogo médio e vá mexendo;
  2. Quando ficar no ponto de desgrudar da panela, desligue o fogo e continue mexendo até esfriar;
  3. Daí é só deixar esfriar e servir.

É legal saber

  • O tempo no fogo vai depender do leite vegetal usado no preparo do leite condensado;
  • Continuar mexendo o creme até esfriar, faz com que ele fique mais liso e homogêneo.

Enquanto mexia pra esfriar, Lara adicionou gergelim, pois além de ficar mais bonito e crocante, ainda potencializava o brigadeiro – quem disse que comida gostosa não pode ser saudável?

Gergelim preto possui alta concentração de vitamina A e E, cálcio, fibras e vitaminas do completo B, além de auxiliar no tratamento e prevenção da osteoporose, reduzir colesterol ruim, estimular o bom funcionamento cerebral, prevenindo contra doenças como AVC e tromboses, ele também fortalece o sistema imunológico.

Formiga e depois de tanto mexer com doce, Lara mal esperou o brigadeiro esfriar, catou a panela e foi pra sala, deu play na série O segredo do Templo, enquanto se deliciava com a sobremesa.

Apesar da série ser bem interessante, ela se deixou levar pelos pensamentos e riu ao lembrar que logo que começou a falar com Alexey, ele percebeu bastante afoito pra vê-la, mas ocupada como sempre estava, ela preferiu ignorar as indiretas dele pra não parecer que estava inventando desculpas pra não se verem.

Só que aí ele sumiu, mas como ela estava acostumada a sempre conseguir o que queria – principalmente do sexo oposto – alguns dias depois ele voltou a puxar assunto, só que ainda mais interessado. Assim, entre risos, lembranças e o prazer proporcionado pelo brigadeiro de colher, ela seguiu assistindo até tarde.

Pode ter parecido que não ia rolar receita aqui, mas consegui furtar as da Lara, principalmente a do bolo de prestígio vegano, algo que ela guardava com cuidado. Então para de passar vontade e bota a mão na massa, porque a boca já deve estar cheia d’água, assim como a minha ficou enquanto narrava os acontecimentos ao vivo.

Ainda está esperando o que, aí parado? Corre lá na cozinha, porque todas as receitas são uma verdadeira delícia!


proximoepisodio

Alexey até conseguiu disfarçar bem, mas estava maior empolgado pra ver, tocar, beijar e abraçar Lara – talvez por isso é que tenha acordado com as galinhas? – até que conseguiu falar com ela, deu até uma amenizada.

Foi então que ela envia aquela foto, daí que o bicho ficou doido mesmo pra vê-la logo – precisou até correr pra gastar um pouco de energia e ver se o tempo passava logo, porque a ansiedade ficou grande demais pra dar pra segurar.

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura

adolescente desilusão doces episódio ilusão infantojuvenil jovem Minissérie: Prestígio (Todos episódios) receita relacionamento soundtrack teen