Ano: <span>2019</span>

Pose – Paralisia do sono (Thriller II)

Jean descobre quem é que tava ligando, mas algo mais assustador acontece enquanto a ligação seguia, correndo pra ver o que era, ele encontra maior bagunça na cozinha.

Dormir foi algo que Jean conseguiu com bastante custo, mas acabou descobrindo que isso foi uma péssima ideia – e ainda pior foi insistir em repetir a dose!

Algo se movendo pela noite, foi se arrastando desde a cozinha, subindo as escadas, até chegar na frente do quarto e, sem esperar, algo assustador pula em cima dele.

Chuva (Lá fora ela veio cair)

Que sentimentos a chuva desperta em você? Seu desejo é de sair correndo pra debaixo da água, que de graça cai do céu, cheio de felicidade, talvez seja de parar pra relaxar ou de então de desligar tudo e se proteger dos raios?

Somos constituídos por mais de 70% de água, assim o sentimento não devia ser de medo ou temor, mas de conexão.

Enquanto a chuva cai, são derramados sentimentos, sensações e reflexões, que fluem em correntes que vão sendo arrastadas pra fora de nós. Quem diria que a chuva teria tanta verdade pra dizer?

Pose – Depois que o olho fechou (Thriller I)

Se tem uma lição que esse episódio vai ensinar – e que pode servir pra qualquer um – é que nunca se deve atender qualquer ligação durante uma tempestade. A gente nunca sabe o que é que as ondas de rádio frequência podem atrair pra onde estamos.

Correndo da tempestade pra evitar Yakut enfartar, devido o estresse que isso lhe causava, Jean consegue chegar em casa, mas uma gata assustada, ligações estranhas, luzes piscantes – e todo aquele clichê de história assustadora – começa acontecer, só pra ele perceber que tava nada preparado pro encontro daquela noite.

A Luz (Quando ela materializou)

Por causa de uma decisão ruim uma terrível consequência corrompeu tudo, enchendo todos os entendimentos de trevas e confusão. Assim cada um seguiu seu próprio caminho, optando pelas piores escolhas – que só demostraram que ninguém sabia o que estava a fazer.

Soluções surgiram, mas todas paliativas, até que, em meio a toda essa confusão, quando a esperança parecia perdida e só se via escuridão, eis que a luz, desceu do céu e salvou o dia, as vidas e toda dimensão.

Pose – Fica, vai ter bolo (Episódio 5)

Depois de não rolar, outra vez, o beijo no cine, Jean fica maior frustrado e sai chutando as pedrinhas pelo caminho, até outra oportunidade lhe sorrir, cheia de manha, mas dá ruim de novo.

Ele acompanha a crush até a casa dela, mas nada do que planejou e até o que não idealizou deu certo. Nisso ele vai embora, bem chateado com si mesmo e é aí que Kylie o puxa pelo braço e resolve lhe dar um presente, mas dessa vez quem atrapalha é maior temporal, além de uma memória desesperada que precisa de urgente atenção.

Seus olhos (Revelam tanto sobre você)

Cada olhar contém dentro de si um história diferente a ser contada. E, se alguém olhasse diretamente em seus olhos agora, o que ia neles encontrar?

A verdade é que nem sempre os lábios dizem o que se move dentro de nós, mas os olhos sempre conseguem mostrar o que está lá escondido – mesmo que muitas vezes a gente não queira dizer nem pra nós mesmos.

Só que existem olhares que parecem nos sugar pra dentro deles e descobrir que existe motivo pra fazê-los entristecer pode ser algo incompreensível e só fazer com que o desejo de cuidar e estar perto aumente consideravelmente, mas será isso é possível?

Pose – Apps pra um feed tumblr (Episódio 4)

Se você não tem experiência nenhuma com paquera pode ser que as coisas não sejam tão fáceis ou não saim como gostaria, pior ainda quando se é meio tímido!

Jean até tentou encantar Kylie, mas algo não tava funcionando no processo de conquista, é quando ele abre o jogo com um amigo que lhe dá importantes dicas.

Pondo a prova o que ouviu, ele começa a conversar com Kylie e entre dicas dos melhores apps pra deixar o feed tumblr ele faz uma proposta ousada – fé no Pai que o beijo sai!

Estações (De janeiro a janeiro vão passar)

O que você teria a dizer das manhãs de verão, em que o sol te faz pular mais cedo da cama, das tardes de outono, agradáveis com seus tons de aconchego ou da primavera, que traz amenidades, perfumes e vontades, a cada despertar?

Talvez o vilão das estações seja mesmo o inverno, mas é nele que encontramos calor e carinho no acolhimento de quem amamos.

Enfim, a cada estação, uma nova emoção e são tantas coisas que fazer isso num único poema fica difícil.

Ainda assim você está convidado pra ter boas lembranças arrancadas de si e revividas. Preparado? Então clica aí a baixo.

Pose – Pisa menos no Insta (Episódio 3)

Um perfil diferente, com fotos descoladas demais, até com… nudes? Como assim, produção? Isso aqui é uma minissérie família!

Sentimentos confusos, muita zoação e uma portada na cara podem ser bem esclarecedores. E agora, José, vai continuar negando o que sente pela mina?

Sim, Jean finalmente consegue falar com Kylie o que vinha querendo desde o primeiro episódio – para nossa alegria! Só que agora outra coisa incomodava: depois de entender os reais sentimentos, como fazer pra ganhar a crush?

Sol do meio-dia (No escuro brilhou)

Em meio as dificuldades pra onde você tem olhado em busca de auxílio? Será que nos altos montes é que pode encontrar aquilo que precisa ou estaria no mais alto céu? Talvez além do mar?

É preciso saber onde encontrar a luz, pois só ela pode a escuridão iluminar, apenas quando o sol começa a brilhar é que todas as trevas recuam e se escondem pra longe de nós.

Pose – Modo retrato valoriza mais (Episódio 2)

Jean se sentiu meio estranho por não conseguir falar o que queria com Kylie, mas ao chegar em casa não conseguiu fazer outra coisa a não ser rever as fotos delas, madrugada adentro.

Só que fazer isso acabou fazendo ele levantar tarde e com isso atrapalhar os planos dos pais – resultando num climão. Só que no fim ele acaba passando um ótimo domingo em família

Mas a segunda chega e é hora de rever Kylie, será que agora ele consegue falar com ela?

Morto (Quando no vale me encontrei)

Quanta gente acha que está viva, mas os passos e ações mostram exatamente o contrário – que o destino chegou até mesmo antes do tempo. E quando é a gente que se percebe nesse estado?

Pode até ser que você nem sinta mais o frio na pele e que o arrepio apenas aumente o torpor, daí é que se percebe ter carregado em si a própria morte.


Previous page Next page