2 minutos

Água, vital, do alto vem,
Vida de três pequenas partes.
Causa do movimento d’águas,
Expansão formada nos céus.

Água que cai nos passos meus,
Toma-me, vivificando em mim.
Sensação repentina
Sou tomado por ela.

Sinto a suavidade
De sua dinâmica,
Seguindo os passos meus,
Regando-me flor.

Chuva lava a mim,
Limpa dentro também.
Alma mais leve,
Respira o mundo.

Os passos vão enlevando
Sinto-me cada vez mais longe,
Nas nuvens do alto céu,
Vento afaga o rosto meu.

Já não sou quem fui,
Sou chuva que cai.
Chuva vinda do céu,
Caindo inocentemente.

Chuva que limpa,
Chuva que purifica,
Traz vida e verdade.
Sou chuva a cair na vida.

Chovo por inteiro,
Chove dor e alegria,
Chove desprezo e amor,
Tudo começa a chover.

De água feito sou,
Que tem de transbordar.
Desmorono então a chover,
O sólido se liquefaz.

Desfaço-me em gotas mil,
Se me desfazem os medos
Resta apenas a paz,
Calmaria de águas tranquilas.

Levado pela correnteza,
Frias gotas que aliviam
O calor insuportável
Do fardo do viver.

Sou chuva a descer
Caminho adentro,
Gota após gota,
Me desfaço por inteiro

Chovo até não poder mais.
Levado pelas águas da vida
Regando cada parte
Até onde o céu possa alcançar.

Vou caindo pelo caminho
Dos passantes dispersos,
Tomando a estrada,
Criando valas,

Abrindo passagem,
Guiando a novo caminho.
Afluo languidamente, ligeiro
Rumo a caminho do mar.


#freetalk

Desde que a memória me permite recordar sou apaixonado pela chuva, antes mesmo de poder entender conceitos mais profundos já sabia que nela existia algo de especial. Uma música que marcou esses momentos e que amava cantar quando chovia, foi “Chuvas de graça” – tudo bem que naquele tempo achava que chuva de graça queria dizer água em abundância, não da graça de D-s.

O fato é que me encantava ouvir a chuva cair, se me deixasse, então, saía correndo pra me lançar naquele imenso chuveiro gelado ao ar-livre – algo que dificilmente mamãe deixava e isso depois de muita insistência – pra curtir a água que refresca e dá vida [Jó 14.7-9].

Até hoje o som melodioso é uma de minhas canções favoritas e, enquanto algumas pessoas se assustam devido ao que pode acontecer – isso sem falar em inundações, causadas por péssimos planejamentos urbanos, mas devido aos raios – tudo que consigo sentir é tranquilidade, uma paz inexplicável [Filipenses 4.7] que relaxa, conforta e conecta, levando a um estado de enlevo – melhor ainda se puder dormir de janela aberta.

Ósculos e amplexes,

mishael mendes sign, assinatura
Veja também  Seus olhos (Revelam tanto sobre você)

Mishael Mendes

Um cara totalmente apaixonado por música, se deixar ele não quer fazer nada sem uma boa trilha sonora. Amante de fotografia, livros, animais e comida boa – principalmente a da mãezona. Criou o blog e o canal pra compartilhar sua visão inversível da vida.
Fechar Menu